Candidatos ao GDF receberão propostas de desenvolvimento sustentável

Documento pelo Codese será entregue durante o evento O DF que a gente quer. A ideia é que candidatos ao GDF se comprometam com a execução de uma série de ações até 2030
03/08/2018
FONTE: Correio Braziliense

Com a chegada das eleições, a população terá a possibilidade de contribuir com propostas para o crescimento social e econômico do DF antes mesmo de ir às urnas. Uma lista de sugestões, baseada na Agenda 2030 de Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da Organização das Nações Unidas (ONU), inspirou a elaboração de um documento com ideias de melhorias para a capital do país. As cinco principais sugestões de cada uma das 18 áreas nas quais as ações foram divididas serão apresentadas amanhã, no evento O DF que a gente quer.

A lista está em produção desde março de 2017. A iniciativa foi encabeçada pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do Distrito Federal (Codese-DF). A versão final do documento, depois dos debates de amanhã, será entregue aos candidatos ao Palácio do Buriti. A ideia é que os governantes concretizem essas propostas até 2030. Mais de 240 pessoas, entre especialistas, voluntários da sociedade civil e representantes de empresas e entidades do setor produtivo, se reuniram em quase 300 encontros — desde a criação do conselho até o mês passado — para elaborar o documento.

Esse grupo de voluntários se dividiu entre 19 câmaras técnicas, cada uma focada em um setor, como segurança, saúde pública, educação, tecnologia e esporte. No evento, o público poderá conhecer um pouco do trabalho dos comitês e discutir as propostas com os gestores deles. Os temas das 19 câmaras também foram inspirados nos ODSs da ONU.

Na visão do presidente do Codese, Paulo Muniz, muitos projetos são engavetados a partir do momento em que os governos mudam. Dessa forma, inúmeras propostas de melhoria acabam desconsideradas. O que o documento propõe não se trata de um projeto de governo, para os próximos quatro anos, mas de um projeto de Estado. Contratamos consultores, fizemos levantamentos com base no Plano Plurianual do DF e buscamos projetos de governos anteriores, além daqueles que a própria Câmara Legislativa vê como necessários, explica.

Antes e durante o evento, os interessados em contribuir com a lista de propostas poderão enviar sugestões e opinar — pelo site e no auditório do Museu Nacional da República, após as apresentações — sobre cada uma das ideias. A cerimônia contará com 18 painéis, de 20 minutos de duração cada, compostos pelo gestor da câmara técnica, um especialista, um representante da população e um jornalista que mediará a mesa-redonda. Em cima disso, a população se manifestará. Trabalharemos juntos com a colaboração da sociedade. A ideia do evento é apresentar todo esse trabalho feito, complementa Paulo Muniz.

 

Contribuição

A expectativa é de que o trabalho de sugestão e fiscalização do Codese seja permanente. O conselho pretende cobrar a execução das propostas à medida que o trabalho for desenvolvido e informará quais candidatos ao Buriti aderiram ao documento. O conselho visa promover a coparticipação, o fomento de políticas públicas, além da interlocução do GDF com o governo federal e com iniciativas internacionais. Segundo Muniz, o tempo de aplicação das ações poderá ser estendido para 2060.
 
Para a integrante da Câmara de Arquitetura e Urbanismo, Giselle Moll, 57 anos, a entidade oferece uma forma direta de a população contribuir com sugestões de mudanças para a capital federal. Os participantes realmente querem pegar para si a responsabilidade de pautar o governo. Não contribuímos financeiramente nem recebemos nada por isso. Minha contribuição é meu trabalho, afirma a voluntária. Entre as propostas da câmara, da qual Giselle faz parte, estão iluminação pública e acessibilidade em paradas de ônibus, além de assistência técnica gratuita na área de arquitetura para famílias de baixa renda.
 
Paulo Americano, 34, executa o mesmo trabalho da arquiteta, mas na Câmara de Comércio e Serviços. Ele conta que, no início, a equipe realizou um processo livre de sugestão de ideias. Todos tiveram mil sugestões, mas focamos no que era viável. Contamos com a ajuda de uma agência de assessoria de gestão, que conduziu os trabalhos para que eles se tornassem mais práticos e objetivos, comenta.

Parcerias

O Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico (Codese) foi criado há 22 anos, em Maringá (PR), e, hoje, está presente em 22 unidades federativas. No Distrito Federal, a organização é composta por 62 entidades e 10 empresas.

Como fazer parte

Os interessados em compor o Codese-DF, participando das reuniões como voluntários, devem entrar em contato pelo e-mail codesedf@gmail.com, enviar currículo e informar a câmara com a qual querem contribuir. Quem preferir sugerir ações para o documento que será entregue aos candidatos ao Buriti pode enviar propostas (por vídeo, foto ou mensagem) pelo site www.odfqueagentequer.org até o fim do evento.

Programe-se

O DF que a Gente Quer!
Amanhã, das 9h às 15h 
Local: Auditório do Museu da República. Entrada gratuita

Horários

Confira os horários de cada um dos 18 painéis do evento:
 
9h - Negócios agropecuários
9h20 - Logística
9h40 - Indústria
10h - Eixo Brasília-Goiânia e RIDE
10h20 - Cidadania
10h40 - Cultura
11h - Saúde pública
11h20 - Gestão pública
11h40 - Esporte
12h - Educação
12h20 - Tecnologia
12h40 - Energias renováveis
13h - Desenvolvimento urbano
13h20 - Turismo
13h40 - Comércio e serviços
14h - Segurança pública
14h20 - Cultura de paz
14h40 - Segurança e moda